Construir o futuro no presente é o propósito que guia a carreira do futurista Demetrio Teodorov. Ele começou a se interessar pela área durante um ano sabático que tirou após um momento de descontentamento profissional. A partir daí decidiu investir pesado no que chama de “transformação e inovação sem blá blá” e foi aprender mais sobre o assunto no Disney Institute, na Insead e em Harvard. Atualmente ele é Head de Inovação na Alelo, Professor de MBA e Conselheiro Executivo do IAB Brasil. Demetrio estará na nossa DT CON, nossa conferência de design thinking que irá acontecer entre os dias 26 e 27 de novembro na EBAC (Escola Britânica de Artes Criativas), com a palestra Designing the future of finance. Fizemos uma breve entrevista para entender melhor o que irá por vir.

 

Como você tem feito a inovação acontecer dentro da Alelo?

O grande diferencial é que inovamos dentro e fora de casa, por isso a área de inovação fica dentro da de RH. Inovação não acontece se não tiver mudança de comportamento e mindset, por isso todos os 700 colaboradores estão envolvidos com a meta de inovar. Isso acaba gerando um alto grau de engajamento. Com isso, estamos sempre aplicando as ideias que surgem em estratégias corporativas, testamos, e se der certo, passamos para a produção. Se não, guardamos os aprendizados gerados. Também usamos a inovação para otimizar processos e acelerar projetos. Já para pesquisar as tendências de futuro, eu estou sempre viajando para lugares que são referências em inovação, como Vale do Silício (CA), Nova York, Portugal e Israel.

Qual o poder que o futurismo tem na sociedade?

O de construir o futuro no presente. A gente consegue ainda adiantar o risco e transformá-lo em oportunidade. Assim como um meteorologista consegue prever ou dar um alerta sobre um temporal, existe uma linha de pensamento para identificar tendências e enxergar um possível ofensor.

Aqui na Alelo por exemplo, fizemos um estudo sobre mobilidade e chegamos na tendência das pessoas comprarem menos carro e usar outras opções de transporte. Por isso criamos um cartão multimodal que pode ser utilizado para pagamento de despesas de diferentes tipos de mobilidade, como para o combustível, para o uso de apps de táxi e locação de bicicleta.

O futurismo pode ser aplicado em que contextos?
Ele pode ser aplicado em qualquer tipo de indústria, em áreas de empresas e até mesmo na própria vida do indivíduo. Existem muitos estabelecimentos comerciais que estão utilizando do futurismo, como o segmento de restaurantes que identificou que a experiência tem sido mais importante do que a própria comida, enxergando a importância de investir neste aspecto.

Qual o papel da tecnologia nisso tudo?
A tecnologia abrange apenas 10% da inovação e futurismo. Os outros 90% são sobre mudança de comportamento. Ela acaba sendo o detalhe que molda e trabalha para o resultado.

Qual o caminho para quem quer se especializar no assunto?

Pode começar lendo o livro Organizações Exponenciais (de Ismail Salim, S.Malone Michael e Van Geest Yuri) e fazendo um curso livre de futurismo. A partir daí, é preciso desenhar o caminho que mais te interessa, pois o futurismo pode ter várias áreas e seguir diferentes rumos.

Gostou do assunto?  Não perca a chance de ouvir a palestra de Demetrio ao vivo em nossa DT CON! Além dele, teremos outros grandes nomes nacionais e inernacionais.

Garanta aqui seu ingresso!

Veja o post de outros palestrantes:

“O futuro não é um ponto final, mas um lugar de oportunidade” – conheça Monika Bielskyte, futurista e palestrante da DT CON

Como projetar o futuro das cidades? Descubra com Carla Link, designer e participante da DT CON

Ricardo Ruffo

Ricardo Ruffo is a born entrepreneur, educator, speaker and explorer. As a writer by passion Ricardo daydreams on how the world is changing fast and how it could be.

Ruffo is the founder and global CEO of Echos, an independent innovation lab driven by design and its business units: School of Design Thinking, helping to shape the next generation of innovators in 3 countries, Echos – Innovation Projects and Echos – Ventures. As an entrepreneur, he has impacted more than 35.000 students worldwide and led innovation projects for Google, Abbott, Faber-Castell and many more.

Specialist in innovation and design thinking, with extensions in renowned schools like MIT and Berkeley in the United States. Also expert in Social Innovation at the School of Visual Arts and Design Thinking at HPI – dSchool, in Germany.

Naturally curious, love gets ideas flying off the paper. He always tries to see things from different angles to enact better futures. In his free time, spend exploring uninhabited places around the world surfing.

Fique Ligado

    Inscreva-se na newsletter da Echos para acompanhar as novidades da indústria, notícias de inovação e ofertas exclusivas.

    Forgot your password? Click here to reset.

    Presença Global

    © Copyright 2022 Echos. All rights reserved.