Metodologia agile e design thinking: como combinar as duas?

Imersos no mundo VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo), proporcionar dinâmica e otimização do tempo passou a ter caráter de sobrevivência para as empresas, uma vez que é preciso trazer inovações constantemente.

Nesse contexto em que novidades são commodities é fundamental errar, aprender e solucionar o mais rápido quanto for possível. Isso ajuda que o fôlego seja retomado dentro do próprio processo de desenvolvimento de produtos ao invés de pagar o preço de uma possível surpresa entre aceitação e rejeição de mercado.

Assim, são necessárias abordagens que proporcionem espaço para que todas essas demandas de criação sejam atendidas, o que faz da soma entre design thinking (DT) e metodologia agile uma boa combinação.

Design Thiking

Caminho para a resolução criativa de problemas complexos, o DT coloca no centro da discussão e criação a perspectiva do consumidor.

Partindo daí, busca uma solução completa para o problema a ser atendido, a fim resolver a questão, ao mesmo tempo que proporciona uma experiência encantadora e que entregue valor para o cliente.

Para tanto, se vale de diferentes etapas, equipe de profissionais complementares e, principalmente, um ambiente de contribuição, construção até chegar na versão que corresponda às expectativas do público.

Dessa forma, é útil nos mais diferentes contextos, uma vez que onde há um problema há espaço suficiente para essa abordagem. A partir do design thinking é possível inovar pois ele provoca novas percepções e, assim, melhores soluções de mercado.

Metodologia Agile

metodologia agile

Propagada pelo setor de tecnologia de informação, como o próprio nome já entrega, as metodologias ágeis buscam a otimização do tempo e, na procura de concluir esse objetivo, a busca é por erros, pois, quanto mais cedo falhar, melhor. Quanto mais erros forem corrigidos, sinal de que mais próximos da versão de lançamento se está.

Como exemplo de metodologia agile está a Lean Startup em que processos enxutos são o caminho para encontrar modelos de negócios viáveis. Para tanto, os ciclos de criação são curtos e mesclam hipóteses e testes na busca por soluções de baixos custos e que sejam relevantes ao mercado.

Também há a Agile UX, mais direcionada para a experiência do usuário online (interfaces, funcionalidades e navegação), a partir de uma comunicação horizontal entre os profissionais envolvidos para que as informações circulem de maneira interativa, clara e sem burocracia.

Assim, a partir da metodologia ágil é possível encontrar caminhos para os negócios mesmo em meio ao turbilhão de acontecimentos e informações a que a economia moderna está submetida, fazendo com que as empresas mantenham relevância e sustentabilidade.

O melhor dos dois muitos

O pragmatismo na área de exatas somada a personalização da humanização dos processos, tem potencial para trazer benefícios aos processos de desenvolvimento e criação de solução dos negócios. Conheça quais abaixo.

Criar soluções encantadoras

Nos dois conceitos, ainda que haja profundo conhecimento técnico e aprofundada investigação da dor do consumidor e de seu perfil, parte-se do princípio em que não há respostas prontas, mas a serem construídas.

Esse pontapé é essencial, pois estabelece a colaboração, comunicação e troca entre todas as partes envolvidas e dá valor especial às experimentações, uma vez que é a partir delas que se consegue ter a reação genuína de potenciais clientes e, com isso, aprovar algumas características, excluir parte delas e melhorar todas as outras.

No final o que se tem é um produto sob medida que, de tão compatível com seu contexto de utilização, provoca experiências incríveis, encantamento e fidelização de seus clientes.

Desenvolve os profissionais

Como mencionado, a integração de profissionais distintos é o que torna possível desenvolver produtos completos, uma vez que dá abertura a diferentes olhares e contribuições.

Nesse processo, competências como escuta ativa, objetividade ao falar, empatia com o público, humildade e colaboração são necessárias para que haja um resultado satisfatório.

Assim, ao unir metodologia agile e design thinking, consegue-se trabalhar soft skills (habilidades comportamentais) que farão diferença em todos os níveis de relacionamento e impactarão positivamente nas entregas dos profissionais.

Otimiza a utilização de recursos

A busca eterna pela perfeição acaba e dá lugar à utilização racional dos recursos existentes, inclusive a criatividade. E antes que me entenda mal, não é que a criatividade será polida, mas direcionada em tema, abrangência e tempo.

Ela sempre será solicitada, pois melhorias contínuas são processos diários dentro da rotina da gestão de desempenho e de conversão de produtos. Mas, mesmo nesses casos, haverá as delimitações mencionadas.

É importante haver clareza de objetivo e entregar o melhor possível para o cliente. E possível dentro das mesmas premissas: tema, tempo, abrangência e, aqui vale ressaltar, orçamento para que a energia não seja perdida, a viabilidade do investimento seja sentida e os resultados e avanços possam ser traçados.

Dicas para aplicar

Conhecer mais sobre cada um dos conceitos e se capacitar para aplicá-lo é base para qualquer atuação. Assim são evitados erros no processo e se consegue o benefício de cada uma delas para o objetivo.

Comece com o DT

Compreender o consumidor e seu contexto é especialidade do design thinking e sua proposta de imersão. Assim, é ideal ser utilizado como start a fim de trazer a matéria-prima (informações, percepções e insights) para a construção da solução.

Valide com o Lean

Após conhecer o universo do cliente em potencial é hora de dar respostas aos problemas que ele enfrenta e testar as hipóteses de soluções geradas, a fim de entender qual melhor se adequa (ou quais atributos de cada uma devem ser combinados) para o produto final.

Refine com o Agile

Ao ter esse feedback, é extremamente importante que haja o entendimento sobre ele e que os profissionais se debrucem e colaborem entre si para que se consiga chegar a um produto final capaz de entregar valor e proporcionar experiência.

E, então, pronto para iniciar o processo de inovação com design thinking e metodologia agile? Baixe nosso e-book com ferramentas práticas de DT e comece a mudança!

ECHOS

A Escola Design Thinking foi criada para aqueles que desejam estar na fronteira da inovação.

Criada em 2012 pela Echos – Laboratório de Inovação, a Escola Design Thinking é uma escola de inovação na prática que tem como propósito formar a nova geração de inovadores.

Esqueceu a senha? Clique aqui para resetar.