A EscolaIn CompanyContatoEchos Online

Para entender o que é projeto sustentável é importante saber que ele tem um compromisso com as próximas gerações.

Assim, os recursos utilizados e os benefícios gerados precisam respeitar algumas diretrizes para que o desenvolvimento econômico aconteça de maneira responsável.

Por isso, existe um tripé que explica o conceito, garantindo a abrangência necessária a partir das perspectivas social, ambiental e econômica.

Afinal, numa sociedade complexa, há diferentes maneiras de exercer responsabilidade, devido aos inúmeros fatores que integram a relação do mercado.

Portanto, para diferenciar projetos sustentáveis daqueles que não são, além de reconhecer a importância dessa caraterística, continue a leitura do post!

Por que se importar com sustentabilidade?

As mudanças climáticas, esgotamento de recursos, aumento da população e da desigualdade social explicam o porquê da sustentabilidade ser tão necessária.

Tanto é que o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mantém um portal sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, a fim de prestar contas sobre os compromissos assumidos com a ONU quanto aos avanços de 17 áreas até 2030.

A conscientização sobre sustentabilidade é responsável por inúmeras causas. Entre elas:

  • 84,4% de redução na emissão de gás carbônico entre 2004 e 2011;
  • tendência de diminuição no desmatamento, com a menor taxa sendo 4.571km² (2012). Em 2017 o desmatamento foi de 6.947 km².

Sustentabilidade

O entendimento do que é sustentabilidade surgiu através da Convenção sobre Ambiente Humano promovida pela ONU (Organização das Nações Unidas) no ano de 1972 em Estocolmo (Suécia) e tem atenção e empenho do órgão desde então.

Nesta reunião foi abordada a necessidade de desenvolver o mercado atual sem perder de vista as décadas a seguir e, com isso, se instalou o conceito de desenvolvimento sustentável.

Conforme o Relatório Brundtland da ONU:

“Na sua essência, o desenvolvimento sustentável é um processo de mudança no qual a exploração dos recursos, o direcionamento dos investimentos, a orientação do desenvolvimento tecnológico e a mudança institucional estão em harmonia e reforçam o atual e futuro potencial para satisfazer as aspirações e necessidades humanas.”

O que se entende por projeto sustentável?

A WWF Brasil descreve a transição de uma empresa não sustentável, mostrando que ela parte de uma convicção que este ‘Não é um problema meu’ e passa por uma conscientização progressiva entre ‘Redução de impacto‘, ‘Impacto Zero’ e, por fim, ‘Rede de impacto positivo’.

A legislação é um instrumento motivador para a adesão, assim como outras articulações políticas e sociais que façam da sustentabilidade e da responsabilidade social pautas em evidência.

A WWF termina a lógica das etapas, ao mostrar que, durante elas, as ações de sustentabilidade no mercado:

  • começam com a filantropia — com o objetivo de compensar o efeito negativo da atividade econômica (replantio de árvores é um exemplo) — e cumprimento das leis e normas vigentes; 
  • se desenvolvem com a incorporação delas na estratégia da companhia (a Natura usa refis desde 1983, diminuindo a utilização de plástico) e;
  • por fim, evoluem ao ponto de serem criadas soluções para os problemas mundiais (reciclagem de lixo eletrônico, por exemplo).

Tripé da sustentabilidade

Como mencionado na introdução, o tripé da sustentabilidade é composto pela responsabilidade social, ambiental e econômica.

Tais perspectivas são possíveis a partir do momento em que os agentes e ativos da sociedade são vistos como um todo. Ou seja, capazes de impactar e sofrer impacto um dos outros.

Ao contribuir para que eles funcionem de maneira consciente, constrói-se uma sociedade madura e mais justa do ponto de vista do desenvolvimento econômico.

Social

As ações esperadas por esta perspectiva apontam o olhar e os esforços para a promoção dos cidadãos, ao criar condições para um desenvolvimento e atuação plena.

Para tanto, é preciso que a empresa não só respeite como também fomente e invista projetos voltados para áreas como:

  • Direitos Humanos;
  • Saúde e Nutrição;
  • Educação;
  • Boas condições de trabalho;
  • Ações sociais e comunitárias;
  • Diversidade.

Ambiental

Fonte de tudo o que vemos, criamos e consumimos, a natureza é um recurso que ainda sofre com a falta de respeito sobre seus limites.

Uma vez compreendido o papel fundamental que ela cumpre, cabe aos governos primar por ela ao criar mecanismos de defesa e preservação e fiscalizar sua efetividade, assim como as empresas devem cumprir as normativas, criarem alternativas ecológicas e usarem com responsabilidade:

  • fontes energéticas;
  • biodiversidade;
  • água;
  • reciclagem;
  • emissão de gases;
  • agricultura;
  • descarte e reciclagem.

Econômico

Por fim, as diretrizes econômicas estão vinculadas à capacidade da companhia de ser rentável a longo prazo.

Mas não é só isso. O comprometimento deve se estender com a transparência na prestação de contas para os stakeholders, sociedade e governo.

Assim, sobre o que se entende sobre projeto sustentável, estão em foco na sustentabilidade econômica:

  • performance econômica;
  • transparência contábil;
  • objetivos financeiros;
  • governança corporativa.

O gestor na sustentabilidade dos projetos

projeto sustentável

O gestor deve garantir que as diretrizes sustentáveis assumidas pela empresa sejam cumpridas, a partir de monitoramento e articulação ativa junto aos parceiros.

As premissas da sustentabilidade também precisam estar presentes nas ações corriqueiras de cada colaborador e ganhar escala com os projetos sustentáveis, a fim de se tornar um valor da empresa, um hábito, algo intrínseco à sua forma de agir.

Por exemplo, ninguém consegue imaginar a Natura sem ter, no subconsciente, a imagem sustentável que ela assume em suas operações, seja no trabalho com comunidades locais na extração de matérias-primas, no trabalho social do Crer para Ver ou em todas as licenças e prêmios ambientais que possui.

Assim, empresas que equilibrarem seus interesses com os da sociedade a partir da sustentabilidade têm acesso a inúmeros benefícios.

Entre eles, o maior comprometimento dos colaboradores, o engajamento e fidelização dos clientes e a valorização de mercado.

E se quer ter ideias de como colocar em prática o que se entende por projeto sustentável, veja o papel da inovação social neste processo!

Ricardo Ruffo

Ricardo Ruffo is a born entrepreneur, educator, speaker and explorer. As a writer by passion Ricardo daydreams on how the world is changing fast and how it could be.

Ruffo is the founder and global CEO of Echos, an independent innovation lab driven by design and its business units: School of Design Thinking, helping to shape the next generation of innovators in 3 countries, Echos – Innovation Projects and Echos – Ventures. As an entrepreneur, he has impacted more than 35.000 students worldwide and led innovation projects for Google, Abbott, Faber-Castell and many more.

Specialist in innovation and design thinking, with extensions in renowned schools like MIT and Berkeley in the United States. Also expert in Social Innovation at the School of Visual Arts and Design Thinking at HPI – dSchool, in Germany.

Naturally curious, love gets ideas flying off the paper. He always tries to see things from different angles to enact better futures. In his free time, spend exploring uninhabited places around the world surfing.

Fique Ligado

    Inscreva-se na newsletter da Echos para ficar acompanhar as novidades da indústria, notícias de inovação e ofertas exclusivas.

    Forgot your password? Click here to reset.

    Presença Global

    © Copyright 2022 Echos. All rights reserved.