Significado e Benefícios da Heurística para um Projeto

Heurística é um processo de avaliação que auxilia produtos digitais a ficarem realmente bons. Isso porque está focado na usabilidade, ou seja, na experiência do cliente que estará do outro lado da tela interagindo com a plataforma.

Para tanto, ela utiliza da experimentação, o que também é muito valorizado na abordagem Design Thinking, para determinar se atende às expectativas apontadas no início do projeto. Assim, é um meio de garantir que os pontos primordiais para a funcionalidade do produto e sob a perspectiva do cliente tenham toda a atenção necessária.

Curioso para saber mais sobre como é e o que significa heurística? Confira os próximos tópicos!

O que heurística significa na prática?

heurísticaAs heurísticas são como critérios, pontos-chaves que o projeto precisa atender para que cumpra a proposta traçada, ou seja, solucione o problema do cliente. Elas funcionam como guias.

Com isso, há liberdade para a criatividade, para a inovação e para a adaptação no processo de desenvolvimento, ainda que de maneira focada, uma vez que as heurísticas seriam o norte para o trabalho. Algumas heurísticas importantes seriam a do protótipo, avaliação e feedback. Após o protótipo estar feito, a fase de avaliação se encarrega de colocar as heurísticas à prova e pode ser necessário voltar algumas etapas para ajuste.

Na análise, é importante que haja formas de validar as heurísticas, como semáforos de cores ou status (crítico, grave, ruim, boa prática) que possam sinalizar para a equipe se estão no caminho correto ou precisam rediscutir algumas partes. O feedback virá adiante, pelo contato com os profissionais, apontando insights e ideias que não foram consideradas.

Por exemplo, em um projeto de aplicativo de compras de vestuário em que haja as heurísticas:

  • Facilidade de navegação;
  • Controle do usuário.

Se ao testar o filtro de seleção de peças a plataforma travar ou trazer opções que não correspondam ao procurado, há  correções a serem feitas sobre a primeira heurística que poderia ter o semáforo vermelho como alerta.

Durante a revisão do carrinho, se a função de remover peça, alterar tamanho, quantidade de itens estiver funcionando perfeitamente, seria uma heurística atendida, podendo ter o semáforo verde. Ou, se falhar em alguma das alterações, ter a cor amarela para reparo.

Quais heurísticas escolher?

Há várias fontes que podem ser pesquisadas sobre a heurística — autores como Nielsen, Cooper, Gerhardt-Powals, Shneiderman — que podem ser referência durante a definição das heurísticas do projeto. O primeiro passo antes de definir quais heurísticas seguir é saber — a fundo — sobre o contexto de utilização do produto, além de ter conhecimento a respeito do perfil do usuário.

Públicos têm hábitos, desejos, problemas e objetivos distintos uns dos outros. A partir do conhecimento do público se consegue definir, por ordem de importância, o que é crucial para que o resultado final seja considerado como uma solução válida e para que seja aderido no seu cotidiano.

Vantagens da análise heurística

Focar na trajetória do cliente do seu produto traz inúmeros benefícios. O primeiro deles é a otimização de recursos.

Pense que, ao traçar os principais critérios de usabilidade a serem cumpridos, toda a equipe terá foco, o que economiza tempo e direciona energia e talento. Entenda, também, que direcionar não significa podar; muito pelo contrário. Ao entender o que é importante para o usuário, muitas alternativas poderão ser consideradas — e testadas! — para que a melhor seja implantada no produto.

O produto também se torna mais certeiro, pois ao atender a dor do cliente, ele será assertivo no que realmente precisa ser. Com isso, a sua empresa foge do complexo de pato (que nada, voa e anda, mas não faz nenhum dos três direito) que apresenta produtos com inúmeras funções que não apresentam nenhum diferencial no mercado. Assim, quando o produto passar pelos testes com os clientes e finalmente for lançado, a chance de erros diminuirá drasticamente, o que contribuirá para a credibilidade e adesão, fazendo com que todos os esforços empregados até então sejam valorizados.

Heurística e Design Thinking

O principal ponto em comum entre heurística e Design Thinking é que ambos são focados no ser humano. Os dois têm como verdade que não há relevância em um produto se ele não levar valor real para o público a quem é destinado.

O design thinking, como abordagem que auxilia o desenvolvimento de soluções inovadoras — cujas etapas abrangem o observação e aprofundamento sobre o problema, brainstorm e construção de ideias, prototipação, teste e iteração — tem alguns valores que norteiam todas essas etapas — sendo empatia, colaboração e experimentação — e que podem ser úteis na avaliação heurística. Como?

  • A empatia com o público-alvo permite que você entenda qual é a melhor solução para o problema em questão e como apresentá-la de maneira mais simples;
  • A colaboração entre os profissionais une olhares e competências complementares e distintas para transformar ideias em produtos completos;
  • A experimentação é o caminho para validar as alternativas de solução possíveis, garantindo que cada função do produto funcione conforme as expectativas do público.

Assim, juntar a abordagem Design Thinking com a avaliação heurística significa levar respostas mais eficientes para o público, além de fazer com que a equipe esteja mais sincronizada e produtiva.

Que tal se conectar com quem mais entende de Design Thinking para se tornar um profissional cada dia melhor e atualizado? Siga nossas redes sociais para ter informações e dicas direto na sua timeline!

ECHOS

A Escola Design Thinking foi criada para aqueles que desejam estar na fronteira da inovação.

Criada em 2012 pela Echos – Laboratório de Inovação, a Escola Design Thinking é uma escola de inovação na prática que tem como propósito formar a nova geração de inovadores.

Esqueceu a senha? Clique aqui para resetar.