A EscolaIn CompanyDesiredMateriaisContato

Se pudéssemos citar dois principais fatores para que alguém ou uma organização consiga inovar seriam a capacidade de explorar e a de executar. Explorar envolve tudo o que antecede a criação da ideia e executar está relacionado a tudo o que vem depois da ideia, como a prototipagem.

É preciso explorar para conhecer com profundidade para quem está se inovando; que tipo de problema, dor, necessidade se pretende resolver. Essa busca constante é fundamental para se sair do senso comum e das ideias pré-formatadas e começar a fazer novas conexões e chegar em ideias que podem, potencialmente, beneficiar o outro e serem, ao final, inovadoras.

Porém, ideias são somente pensamentos se elas não forem executadas. É nesse momento que entra a parte da prototipagem. Conseguir oferecer uma solução que gere valor para as pessoas é o maior desafio, porque somente quando materializamos nossas ideias é que descobrimos se elas realmente fazem sentido, se elas de fato atendem a uma necessidade e se as pessoas realmente usariam.

Por isso, ao lado de toda ideia, é preciso haver um protótipo, isto é, uma representação física do que está se propondo. Exatamente porque é a partir do protótipo que o(s) autor(es) e as pessoas conseguem interagir com a ideia e construir em cima, para que, ao final, ela se torne uma solução efetiva para um problema.

Resumindo: sempre que tiver uma ideia, prototipe-a. Crie algo tangível. O ato de prototipar nos ajuda a refletir sobre o que estamos pensando.

Antes de criar o seu protótipo é importante entender o que é prototipagem. A seguir confira a resposta para essa dúvida. Além disso, saiba como se dá o processo da prototipagem e confira 4 ferramentas de prototipagem que separamos para que você consiga transformar a sua ideia em algo físico ou, ao menos, visual.

O que é prototipagem?

A prototipagem é executar uma ideia. No Design Thinking, por exemplo, ela é a quarta etapa na criação de um produto. Quando chegamos na etapa da prototipagem já temos a ideia de um produto. Assim, antes de começar a fabricá-lo para ser comercializado, é preciso fazer um protótipo dele.

São utilizadas algumas ferramentas para criar esse protótipo. Há diversas ferramentas disponíveis para se criar protótipos, porém, cada uma oferece funcionalidades diferentes. Assim, é preciso analisar qual é o produto a ser desenvolvido para saber qual ferramenta escolher. Por exemplo, se o produto é um aplicativo é necessário criar um protótipo dele executável, que exige menos esforço para finalização e é facilmente modificável. Para esse caso é possível utilizar o InvisionApp.

Já o protótipo de um produto físico poderá ser modelado em uma ferramenta digital e depois prototipado com materiais físicos que tem um valor de investimento menor, por exemplo. Assim, se pode testar a usabilidade e ergonomia do produto sem ter a necessidade de utilizar os materiais finais.

Outras formas de se referenciar a protótipos é o mockup ou o sketch. Dependendo da área da sua atuação, ouvirá diferentes nomes para a mesma etapa de projeto.

Qual é a importância da prototipagem?

A prototipagem é fundamental para se economizar tempo e dinheiro quand o se está criando um novo projeto. Sendo assim, após a finalização da ideia, em vez de produzir o produto para comercialização, é feito o protótipo.

Este último serve para testar se o produto desenvolvido atende as necessidades, se há algum erro de design e se o objetivo do produto é atendido. Ao produzir um protótipo é possível economizar muito se este precisar ser modificado. Pois imagine só produzir mil unidades de um produto e depois de prontas notar que houve um erro que irá comprometer todo esse lote.

É importante ressaltar que é comum um projeto ter mais de um protótipo. Isso porque, ao longo do desenvolvimento do produto vão sendo alteradas formas, medidas e outros detalhes para que ele atenda perfeitamente ao público e ao conceito que se quer. Assim, a cada nova alteração é importante refazer o protótipo para que possamos analisá-lo.

Vantagens da prototipagem

Vimos porque é importante passar pela etapa da prototipagem, mas, além disso, ela também proporciona vantagens, como estas:

  • testar usabilidade – pedir para que usuários testem a ideia é importante para entender o que funciona e o que precisa ser modificado para ter um produto final que cumpra todos os objetivos;

  • testar funcionalidade – com o protótipo é possível ver se ele funciona, quais ajustes são necessários e como deverão ser feitos esses ajustes;

  • reduzir riscos – o protótipo possibilita que o produto final não seja lançado com falhas, o que evita que o produto fique encalhado;

  • diminuir investimento – é mais em conta investir em um protótipo do que em um produto final que não foi testado;

  • proporcionar feedbacks – o protótipo possibilita que os usuários deem seus feedbacks para a equipe de criação sobre o que gostaram e o que não gostaram.

Fazer um protótipo é fundamental para se economizar, aprimorar a ideia e entregar um produto final perfeito. Além do mais, durante todo o processo de aprimoramento do protótipo é possível ter novas ideias sobre ele e até sobre novos produtos.

Como funciona a prototipagem?

Como já citado a prototipagem acontece na quarta etapa do Design Thinking. As outras etapas em ordem são: imersão, análise e ideação. Sendo assim, depois de já ter escolhido qual problema resolver, o público-alvo e ter feito o brainstorming, vem a prototipagem.

Nessa fase é feito a validação das ideias. Este é o momento de definir o produto e desenvolver um protótipo dele. Dessa forma, é possível analisar ele e modificar de acordo com a necessidade.

A fase da prototipagem não precisa ser necessariamente a última. É possível que ela aconteça em paralelo às outras fases no decorrer do projeto. Sendo assim, se uma ideia nova surgir, ela pode ser testada, validada e implementada antes mesmo que o projeto seja finalizado.

Digamos que o seu projeto é desenvolver um produto que seja uma banqueta feita com fibra de carbono, para que ela seja resistente e leve, mas que também tenha um design que preze pelo conforto. Porém, a fábrica que irá produzir a banqueta tem um pedido mínimo de 200 peças.

Nesse caso, é arriscado sair de uma ideia para já produzir 200 unidades de uma banqueta, sendo que ela nem foi testada. Nesse caso, é feito o protótipo. Ele pode ser feito em um material mais barato para testar a ergonomia e analisar se é realmente confortável. Nessa etapa é possível modificar o protótipo até atingir o resultado esperado.

Só após o protótipo não precisar de mais nenhuma alteração é possível fazer o pedido com a fábrica. Dessa forma, a equipe de criação saberá que as banquetas produzidas atendem todos os objetivos que foram propostos a elas e o dinheiro para a fabricação das mesmas não será em vão.

O ato de prototipar, quando incorporado em um processo, faz com que você a sua equipe desenvolvam uma nova habilidade de execução. O resultado são soluções realmente inovadoras de maneira mais ágil e a um custo muito mais baixo.

Se você navega ou quer começar a navegar nesse modelo mental, abaixo irá encontrar 4 ferramentas que auxiliam na criação de protótipos:

1. Prototipagem de papel

A mais simples forma de prototipar exige nada mais do que papel e caneta. Com essas ferramentas, você pode fazer esquemas/desenhos da sua ideia de forma com que você e os outros possam interagir e ao final de algumas horas ter sua ideia validada.

O interessante desse tipo de prototipagem é a agilidade para testar. Além disso, em razão da flexibilidade do papel, você pode incorporar outros elementos no protótipo para consiga materializar sua ideia rapidamente.

Porém, se pudesse destacar a maior vantagem desse tipo de prototipagem é que este é um momento de desprendimento se a sua solução será digital ou não, já que o papel nos força a simplificar ao máximo nossa ideia e a focar na necessidade a ser atendida e não no meio – na tecnologia. Não obstante, o papel também é um ótimo meio também de prototipar tecnologias, dispositivos, aplicativos, basta usar a criatividade!

 

*todas as imagens foram de protótipos realizados durante os cursos de inovação da Escola Design Thinking.

2. InvisionApp

Caso queira prototipar uma ideia que terá suporte digital, o InvisionApp é uma ótima ferramenta para isso. Além de oferecer uma versão gratuita, é possível criar um protótipo interativo em apenas alguns cliques.

Para usar, basta inserir as telas que gostaria de ter na sua solução digital e, a partir da ferramenta, são feitos os links e as transições. Quando seu projeto é concluído, você pode enviá-lo para o Invision, adicionar algumas animações ou transições e transformar o arquivo em um protótipo clicável.

Pela aplicação da Invision é possível construir algo, não apenas rápido, mas um pouco mais próximo, em termos de fidelidade, ao que seria uma solução final. Recomendamos como um possível próximo passo após ter utilizado a prototipagem de papel.

3. Sketch

O Sketch é uma ferramenta de prototipagem muito popular e fácil de usar. Como é uma aplicação baseada em vetor, é possível construir protótipos com maior fidelidade e para diferentes plataformas/dispositivos. Para muitos webdesigners, o Sketch é uma ferramenta tão poderosa e flexível quanto as ferramentas da Adobe.

A desvantagem é ela ser exclusiva para o sistema operacional OS e possui o custo de cerca de aproximadamente R$397(US$ 99). Mas você pode experimentá-la gratuitamente por 30 dias.

A vantagem é que no site do Sketch há tutoriais explicando diversas funcionalidades da ferramenta. Assim, qualquer dúvida sobre como usar as funcionalidades é só acessar o site.

4. Adobe XD

O Adobe XD é uma aplicação de desenho vetorial que concorre com o Stetch. Em termos de funcionalidades, é bastante parecido com o seu concorrente direto, com a vantagem de rodar em sistemas operacionais Windows e ter integração com os outros produtos Adobe. Porém é um produto mais caro, já que os produtos da Adobe passaram a ser vendido em formato de assinatura mensal. Assim, para ter acesso a essa ferramenta é preciso adquirir o pacote completo, com outros programas Adobe, ao custo de R$224 mensais.

Extra: Google Blocks

Falando em novidades, o Google lançou recentemente uma das aplicações mais interessantes em termos de prototipagem, o Google Blocks. Ainda em fase de experimentação – bastante limitado, mas promissor – é um construtor de formas e objetos em 3D utilizando a Realidade Virtual.

O objetivo do projeto é criar um extenso e compartilhado banco de dados que podem ser utilizados para jogos, sites, ou qualquer outro uso. Ou seja, um campo de infinitas possibilidades para criar protótipos! O próximo passo da gigante de tecnologia é fazer com que as pessoas “populem” a plataforma com suas próprias criações.

Esperamos que com essas ferramentas você desenvolva não só sua capacidade criativa como também comece a exercitar sua capacidade de execução. Dessa forma, a etapa da prototipagem será feita com ferramentas adequadas e que suprem todas as necessidades.

Se está buscando na prática aprender o modelo mental necessário para testar rapidamente suas ideias e criar soluções inovadoras, com foco nas pessoas, conheça os nossos cursos! Temos cursos de especialização em Design Thinking, de inovação, de negócios e até de como fazer apresentações de projetos.

Siga-nos em nossas redes sociais:

Instagram | Facebook | Youtube | LinkedIn | Spotify

Echos

Designing Desirable Futures.

Fique Ligado

    Inscreva-se na newsletter da Echos para ficar acompanhar as novidades da indústria, notícias de inovação e ofertas exclusivas.

    Forgot your password? Click here to reset.

    Presença Global

    © Copyright 2019 Echos. All rights reserved.