Era comum que, ao escolher uma carreira, profissionais a mantivessem da mesma forma ao longo da vida. Afinal, se desviar dessa decisão era tido como loucura ou irresponsabilidade. No entanto, hoje, a carreira em Y é uma tendência, abrindo um leque de oportunidades para quem está buscando sucesso profissional.

Ela se torna extremamente relevante a partir de índices como a pesquisa da Isma Brasil (International Stress Management Association), que aponta 72% dos trabalhadores brasileiros como descontentes com o emprego.

Neste contexto, surge a necessidade de adotar novos planos de carreira e, assim, usar ferramentas para identificar os objetivos desses profissionais. Por meio dessas ferramentas, é possível traçar o planejamento e listar as atitudes necessárias para alcançar o objetivo desejado, como explicaremos neste post!

O que é uma carreira em Y?

A carreira em Y é o plano pelo qual o profissional tem o poder de escolher entre ir para um cargo de gestão ou se tornar um especialista técnico da área que atua.

Ou seja, caso um profissional almeje a liderança, ele poderá seguir para o cargo de gerência da organização. Porém, caso o colaborador goste de trabalhar diretamente com o produto/serviço, ele poderá se tornar um especialista e trabalhar com pesquisa e desenvolvimento, por exemplo.

Deste modo, esses profissionais são valorizados devidamente e se dedicam ao que, realmente, gostam, sem se preocupar com possíveis desequilíbrios, pois neste novo modelo, os especialistas são tão valorizados quanto os gerentes.

O que é o Design Thinking?

Design Thinking (DT) é um conceito originalmente utilizado por designers de produto web, totalmente centrado em pessoas.

A partir da boa experiência deles, o conceito se expandiu para todas as áreas de negócio e conhecimento a partir do desenvolvimento de uma abordagem que valoriza a empatia e a experimentação, a fim de criar soluções inovadoras.

Etapas do DT

Essa maneira de trabalho passa por sete etapas. São elas:

  1. entendimento: mergulhar no conhecimento da problemática, ao pesquisar referências que tragam melhor entendimento e insights;

  2. observação: nada substitui a realidade. Por isso, é imprescindível a percepção in loco (onde a solução será aplicada), a fim de que o resultado se adeque totalmente ao contexto;

  3. ponto de Vista: é o cruzamento das opiniões e definição do que será aproveitado ou não de tudo que se levantou e pensou até então;

  4. ideação: após o alinhamento é preciso somá-los em uma solução que resolva a problemática inicial;

  5. prototipagem: o protótipo é a ideia materializada de maneira simplificada, a fim de trazer à realidade o que se planejou e projetou nas etapas anteriores;

  6. teste: neste momento se testam os protótipos na realidade para que foi pensado. Falhar faz parte. Aqui o objetivo é captar feedbacks e fazer os ajustes necessários para melhorar;

  7. iteração: a partir das informações colhidas, é necessário o aprimoramento dos pontos falhos até que se chegue ao nível necessário.

Como aplicar o Design Thinking na carreira em Y?

Com o DT explicado, é possível aplicá-lo em diversos aspectos da vida. Isso inclui o seu plano de carreira. Abaixo traçamos um paralelo com as etapas da abordagem e o seu planejamento da carreira em Y.

Escreva um diário

Escrever um diário das atividades que realiza é um ótimo estímulo para começar a entender suas necessidades e o que busca para o futuro.

O objetivo é responder algumas questões que darão suporte para as outras etapas. Tais como:

  • quais atividades são mais prazerosas?

  • quais demandam mais energia?

  • quais fazem alcançar o melhor de mim?

  • quais tarefas são mais animadas?

  • quais são calmas?

Desenvolva planos pessoais

Nesta etapa, o ponto principal é desenhar planos diferentes para a vida pessoal.

Como deseja seu cotidiano daqui a 5 anos? Com base na resposta a essa pergunta, crie trajetórias realistas e não se atente apenas no trabalho mas, também, outros desejos possíveis como escrever um livro, realizar determinado curso etc.

O objetivo é notar os diversos caminhos possíveis para atingir suas metas e por meio deles, identificar a melhor opção a seguir.

Defina o problema

Os passos anteriores deram insights sobre sua vida e desejos. Agora é o momento para sintetizar as informações, organizar os interesses e os seus pontos fortes.

A partir disso, se pergunte qual das bifurcações da carreira em Y (gestão ou expertise técnica) é mais adequada a seguir e explore este caminho, siga o passo a passo. Se perceber que não era a melhor escolha, volte e analise o outro.

Idealize

Projetar a carreira em Y é complicado, pois as duas alternativas te levam para lugares desconhecidos até então.

Com os exercícios anteriores, foi possível identificar os interesses pessoais e atribuir um dos caminhos a seguir, mas isso ainda não é uma certeza.

Deste modo, é imprescindível que se idealize a função escolhida. Pesquise por pessoas que já exercem o cargo que você escolheu e fale com elas.

Faça cursos online sobre a carreira, converse com pessoas, oriente-se, crie ideias e possibilidades a serem seguidas.

Realize protótipos e testes

Esperar anos para saber se fez a escolha certa não é uma decisão sábia. Por isso, o ideal é identificar, o quanto antes, qual o lado Y é ideal para você. E, nesse caso, também é possível realizar protótipos que são, na verdade, vivências da vaga desejada.

Uma das maneiras de se fazer isso é conversar com pessoas que já estão atuando no cargo pretendido. Pergunte sobre o dia a dia da função, os prós e contras de atuar naquela colocação, quais as competências necessárias e quais os desafios encontrados.

Observe as pessoas atuando e, caso seja possível, converse com seu superior imediato sobre a possibilidade de vivenciar alguns dias aquela função. Participe de conferências da área, palestras e busque fazer projetos relevantes a carreira desejada, mesmo que como voluntário.

Por meio das experiências obtidas, analise os prós e contras e observe se a bifurcação escolhida na carreira em Y foi realmente a certa.

Caso contrário, sem problemas. Volte e realize todo o procedimento pelo outro caminho.

Neste conteúdo, você aprendeu o que é carreira em Y e viu como a abordagem do Design Thinking consegue lhe ajudar a se entender melhor e a refletir sobre seu plano de carreira. Ao aplicar a abordagem do DT para modelar o futuro, você consegue ver as inúmeras possibilidades, alinhar seus valores e partir para o que, realmente, faz sentido ao seu perfil.

Nesse post, também explicamos que não é apenas na decisão da carreira que o Design Thinking consegue ajudar. Se você quiser saber mais sobre o tema e entender as infinitas aplicações, siga nossos perfis nas redes sociais: Facebook, Twitter e Instagram!

Ricardo Ruffo

Ricardo Ruffo is a born entrepreneur, educator, speaker and explorer. As a writer by passion Ricardo daydreams on how the world is changing fast and how it could be.

Ruffo is the founder and global CEO of Echos, an independent innovation lab driven by design and its business units: School of Design Thinking, helping to shape the next generation of innovators in 3 countries, Echos – Innovation Projects and Echos – Ventures. As an entrepreneur, he has impacted more than 35.000 students worldwide and led innovation projects for Google, Abbott, Faber-Castell and many more.

Specialist in innovation and design thinking, with extensions in renowned schools like MIT and Berkeley in the United States. Also expert in Social Innovation at the School of Visual Arts and Design Thinking at HPI – dSchool, in Germany.

Naturally curious, love gets ideas flying off the paper. He always tries to see things from different angles to enact better futures. In his free time, spend exploring uninhabited places around the world surfing.

Fique Ligado

    Inscreva-se na newsletter da Echos para acompanhar as novidades da indústria, notícias de inovação e ofertas exclusivas.

    Forgot your password? Click here to reset.

    Presença Global

    © Copyright 2022 Echos. All rights reserved.