3 Cidades Inteligentes no Brasil: Conheça essa Tendência

Com o objetivo de solucionar os problemas da vida urbana, tendo em vista o crescimento desordenado e predatório com que as cidades se desenvolveram, o conceito de smart cities tem sido aplicado em diversas partes do mundo. O denominador em comum é a busca por tornar o presente e o futuro mais conscientes e efetivos do que o passado.

Por aqui não é diferente, já que há várias cidades inteligentes no Brasil. Assim como em outros países, elas buscam tratar de problemas comuns — como meio ambiente, mobilidade, morosidade e ineficiência da gestão pública — a partir de soluções tecnológicas e inteligentes.

Quer entender um pouco mais sobre essa tendência mundial? Nos próximos tópicos, fique de olho no que está sendo criado!

Entenda o que é uma cidade inteligente

Uma smart city é uma cidade que se propõe a criar novas maneiras de resolver as questões que impactam a vida da população de maneira efetiva, sustentável e disruptiva. Assim, a ideia central é aumentar a qualidade de vida das pessoas nos municípios a partir de um desenvolvimento sustentável.

Ou seja: recursos, infraestrutura, comunicação, serviços e informação são utilizados de maneira estratégica e ecológica.  Com isso, trabalhar a viabilidade de projetos considerando o futuro (e não somente os benefícios a curto prazo) e os diferentes perfis de cidadãos são os principais desafios a serem cumpridos.

Investimento em tecnologia

Este termo ganhou força com a democratização da internet, responsável por facilitar diversas iniciativas. Com isso, as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) se tornaram o instrumento principal das ditas cidades inteligentes, devido à facilidade com que escalam, organizam e integram processos e informações.

Uma cidade inteligente investe (e muito!) em tecnologia. Há uma estimativa de US$ 408 bilhões em investimentos pelo mundo até 2020 em projetos dessa natureza!

Afinal, para encontrar as respostas adequadas a cada município, torna-se inevitável firmar parcerias com universidades, com o setor privado e com o setor público, a fim de somar conhecimento, esforços e recursos financeiros. Isso porque o que faz sucesso em um município, não necessariamente fará em outro.

Tipos de smart cities

Existem dois tipos de smart cities que podem ser adotados, em que um está mais focado no uso de tecnologia e o outro tem como centro a economia sustentável. Elas não se excluem, apenas trocam a posição de protagonista, visto a forma como são aplicadas.

1- Smart cities que focam no uso da tecnologia

Na primeira opção, o que acontece é uma série de soluções que otimizam o tempo, o acesso e a segurança da população. Isso acontece a partir da integração, do processamento e do monitoramento de informações.

São melhorias feitas para os cidadãos. Nestes processos, existe a preocupação com segurança, em relação ao sigilo de dados pessoais, e com o excesso de exposição e a privacidade.

2- Smart cities que focam na economia

Na segunda alternativa, a educação, a saúde e o empreendedorismo (digital e economia criativa) são fomentados a fim de gerar valor para a cidade, aumentando a qualidade de vida e fortalecendo a economia com novos negócios e atraindo investidores. São melhorias feitas com os cidadãos.

Cidades Inteligentes no Brasil

Por meio de iniciativas criativas, cidades inteligentes no Brasil têm apontado soluções para o cotidiano urbano que podem servir de inspiração.

Curitiba/PR

Já conhecida pela eficiência no transporte público e pelo empreendedorismo, a capital paranaense se tornou a cidade mais inteligente e conectada do Brasil no último ano. A cidade possui políticas públicas, como a lei municipal de inovação, e a atuação da Agência Curitiba que presta serviços, capacita, promove eventos e programas de incentivo fiscal a empreendedores. Projetos como o Workitibas e o coworking municipal são parte dos resultados obtidos pelo município.

Santos/SP

A cidade do litoral paulista é destaque em meio ambiente, devido às alternativas de transporte, como o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), as rotas de ciclovia e a manutenção dos veículos de transporte público. Há outras iniciativas de vertente ambiental e social, como Recicleta, em que a coleta de lixo reciclável é realizada com bicicletas; e o EcoFábrica, em que materiais recicláveis coletados são reaproveitados através da produção de móveis e itens de decoração em cursos de capacitação.

Porto Alegre/RS

Para gerar mais segurança para a população, o CEIC (Centro Integrado de Comando) monitora as vias públicas por meio de mil câmeras. Braço de atuação da Secretaria de Segurança da capital gaúcha, é um recurso integrado às demais secretarias, que orienta a população em situações como: aglomeração de pessoas, imprevistos climáticos e segurança pública.

Como a sua cidade tem se preparado para o futuro? Deu para perceber que os velhos formatos já não atendem aos problemas e às demandas da sociedade, não é mesmo? Continue a receber informações sobre inovação no seguindo em nossas redes sociais!

ECHOS

A Escola Design Thinking foi criada para aqueles que desejam estar na fronteira da inovação.

Criada em 2012 pela Echos – Laboratório de Inovação, a Escola Design Thinking é uma escola de inovação na prática que tem como propósito formar a nova geração de inovadores.

Esqueceu a senha? Clique aqui para resetar.