A EscolaIn CompanyDesiredMateriaisContato

Ao se iniciar um novo projeto, como uma nova empresa, site, aplicativo ou qualquer outro, é comum o surgimento de várias dúvidas no processo. Nesse contexto, a Matriz CSD (Certezas, Suposições e Dúvidas) se faz necessária, já que é uma ferramenta que pode trazer diversos benefícios e insights ao esclarecer todos esses pontos.

Afinal, mesmo trocando diversas informações e realizando várias reuniões a respeito da proposta apresentada, as informações nem sempre ficam claras para a equipe. Assim, utilizar essa ferramenta reduz a possibilidade de erros na comunicação e se torna uma forma rápida e eficiente de se debater um tema.

O que é a Matriz CSD?

duas pessoas discutindo o projeto usando uma matriz CSD de post it

A Matriz CSD   é uma base para a inicialização de projetos que funciona a partir de três perguntas fundamentais. São elas:

  • O que já se sabe a respeito?

  • Quais as possibilidades ou o que se acredita saber?

  • Quais perguntas podem ser realizadas?

A Matriz geralmente é utilizada em grupos e, a partir dessas três perguntas, formam-se três colunas em um quadro, no qual os participantes fazem suas anotações.

Com isso, é possível visualizar, de forma clara, todas as respostas da equipe, criando um retrato do que já se sabe e do que se espera descobrir. Ou seja, é uma forma de facilitar a concentração, o alinhamento e o foco de todos os membros.

Essa ferramenta também pode ser utilizada durante todo o processo do projeto, mostrando as certezas, dúvidas e suposições de acordo com o avanço do programa e não somente nas fases iniciais, mas ajudando a colocar todos na mesma página sempre que for necessário.

Por que usar a Matriz CSD?

Em resumo, a Matriz CSD é uma ferramenta válida desde o início de projetos, pois serve como um ponto de partida, potencializando o processo e agilizando as tomadas de decisões.

Portanto, ao utilizá-la, amplia-se os horizontes e os conhecimentos sobre o tema analisado. Por isso, é possível identificar o que deverá ser pesquisado e adaptado, evoluindo as tarefas gradativamente.

Outro grande benefício apresentado é o alinhamento de conhecimentos do grupo, pois como é uma ferramenta normalmente usada por colaboradores interdisciplinares, as indagações apresentadas terão várias esferas de análise diferentes.

E como ela centraliza todas essas ideias, o processo fica mais claro para todos os envolvidos, alinhando as informações. Isso amplia a eficácia do método, trazendo mais segurança aos participantes e provendo um resultado mais acertado.

Para projetos que buscam atender diretamente um cliente, esse procedimento permite aumentar a satisfação com o serviço prestado, pois a matriz CSD resulta em menos reuniões de alinhamento e menos trabalho, tanto para os prestadores de serviço, quanto para o cliente.

Com a aplicação da metodologia, os desentendimentos são menores, causando menos desgastes no relacionamento das partes envolvidas e resultando em uma entrega mais rápida.

Como utilizar a Matriz CSD?

Por ser muito prática e simples de aplicar, durante o desenvolvimento da ferramenta, o mais comum é o uso de uma folha grande de papel. Nessa folha são delimitadas as colunas de Certezas, Suposições e Dúvidas.

A partir daí, os participantes do projeto começam a colar post-its com suas anotações nas colunas correspondentes.

O uso da Matriz CSD no papel é interessante, pois permite movê-la posteriormente para outro espaço. Porém, ela também pode ser feita no vidro ou na parede mesmo, se o local permitir.

Para os trabalhos em home office, também existem plataformas online, pagas e gratuitas que oferecem o recurso, desde o Jam Board do Google até o Trello, por exemplo.

A metodologia pode ser usada para projetos individuais como uma forma de reflexão. Por exemplo, pode ser usada quando se inicia uma nova empresa ou emprego, ajudando a compreender o contexto geral.

Ela também é utilizada em grandes projetos, envolvendo várias áreas de atuação. Nesse caso, é importante mediar as reuniões para que não haja conflitos, afinal, a ferramenta deve ser inclusiva para auxiliar, de fato, a equipe. Ou seja, em caso de divergência de argumentos, todas as informações devem ser consideradas na matriz, no campo de suposições.

Quando os integrantes do grupo entram em consenso, os argumentos devem ser listados na coluna de certezas.

E quando não se sabe nada a respeito de algo considerado importante, as informações são colocadas na coluna de dúvidas.

Durante toda a duração do projeto, é possível retomar a matriz CSD, reavaliá-la e atualizá-la com novas informações, modificando ou excluindo as antigas e adicionando novas anotações.

Essa ferramenta, também pode ser utilizada com pesquisas externas, contribuindo para aumentar as perspectivas do projeto.De forma geral, é recomendável usar essa técnica quando se necessita analisar ou contextualizar uma determinada situação.

Exemplo de passo a passo

Existem várias formas de se criar a matriz. Uma delas segue essas etapas:

  1. cada integrante escreve seus comentários em post-its sobre as certezas, suposições e dúvidas em relação ao tema em pauta;

  2. os integrantes colam seus post-its no quadro, na coluna que representa sua indagação;

  3. a equipe debate sobre as notas apresentadas, escolhendo até três conteúdos para trabalhar e pode decidir executar uma pesquisa para informar os campos de suposições e dúvidas, especialmente

Esses conteúdos selecionados, ou mesmo a junção deles, podem vir a ser trabalhados em outras ferramentas, como o Mapa de Empatia, ou em uma abordagem mais ampla, como o Design Thinking.

Ficou claro como a Matriz CSD pode ser uma importante aliada nos debates sobre qualquer tema proposto? Para saber mais sobre o Mapa de Empatia, baixe nosso ebook com o tutorial completo para implementá-lo.

Echos

Designing Desirable Futures.

Fique Ligado

    Inscreva-se na newsletter da Echos para ficar acompanhar as novidades da indústria, notícias de inovação e ofertas exclusivas.

    Forgot your password? Click here to reset.

    Presença Global

    © Copyright 2019 Echos. All rights reserved.