A EscolaIn CompanyDesiredMateriaisContato

 

Uma mudança sistêmica é aquela que afeta como o funcionamento de um sistema como um todo. Nós estamos experienciando vários níveis de mudança sistêmica social graças ao COVID – 19. Um dos maiores sistemas que estamos reavaliando é como negócios funcionam e como nós trabalhamos neles como líderes e colaboradores. Com organizações e times inteiros trabalhando remotamente, muitos pela primeira vez, novas tendências estão emergindo. 

Antes de aprofundarmos nessas novas tendências, é importante apontar como fomos capazes de identificá-las. Estamos experienciando uma visão de retrospectiva. Fomos forçados a deixar nosso sistema operacional anterior e agora somos capazes de enxergá-lo de fora. Para muitos de nós, uma rotina de trabalho das 9h às 17h onde vamos todos os dias para o escritório e trabalhamos o dia inteiro em nossas mesas é parte inquestionável do trabalho. Fomos criados nossas vidas inteiras nesse sistema. Acreditamos ser crítico performar no local de trabalho. 

Agora que deixamos esse sistema, permitimos que duas coisas acontecessem. A primeira é que podemos ver o sistema claramente. É muito difícil visualizar algo quando se está inserido nele, é preciso sair para enxergar de fora. E agora que não estamos mais imersos em nossas rotinas, estamos avaliando o sistema como um todo.

A segunda é que criamos a oportunidade de testar nossas premissas. Acreditamos que o espaço físico do escritório era necessário para sermos produtivos, e agora ele foi removido do nosso cotidiano. Isso nos forçou a testar nossas suposições sobre o que precisamos para alcançar nossos objetivos e criar valor para nossas organizações.

O sistema anterior era o que aceitamos como nossa realidade. Agora criamos um novo sistema. Temos à frente uma grande oportunidade de criar uma nova realidade. Uma que funciona melhor para nós, nossas famílias e como definimos valor no local de trabalho. Tendemos a nos acostumar com padrões e não questionar as premissas incorporadas nos sistemas que criamos. Agora que estamos fora do sistema, a habilidade de vê-lo é poderosa. Isso irá nos ajudar a projetar sistemas que intencionalmente refletem o que desejamos. A oportunidade de criar nosso próximo sistema de espaço de trabalho está logo ali. Nunca estivemos em uma situação melhor para gerar mudança sistêmica!

O que queremos mudar, agora que estamos fora do sistema?

Aqui estão três tendências emergentes que acreditamos que irão mudar como o mundo do trabalho vai funcionar no futuro. 

Questionando o 9-5

Uma tendência emergente na cultura do trabalho é que a jornada das 9-17h está perdendo relevância. Herança da era industrial, um mundo que não vivemos mais. Porque devemos continuar a organizar nossos horários de trabalho ao redor de um sistema que não existe mais? O trabalho remoto traz consigo mais flexibilidade no número de horas que uma pessoa trabalha e quando o faz. Sem as restrições de um dia típico, algumas pessoas estão acordando cedo e executando seu melhor trabalho antes das 9h. Outros acham que trabalhar à noite combina melhor com eles. Para muitos, essa flexibilidade ajuda-os a trabalhar quando são mais produtivos e assim passar tempo com a família ou deixar um tempo para si durante o dia. A divisão do horário fica a cargo do indivíduo decidir baseado no que funciona melhor para ele.

O Aspecto Social

Enquanto o ‘como’ trabalhamos está mudando, é importante notar que o ‘porque’ também está seguindo esse caminho. A ausência do trabalho com colegas no escritório está destacando a importância de uma socialização casual no trabalho.

Em nosso sistema anterior, nós definimos o trabalho como um lugar para ser produtivo, para alcançar e encontrar sucesso. Com o trabalho remoto, muitos de nós estão percebendo que ainda podemos atingir esses objetivos de casa. Estamos entendendo a importância do aspecto social para a vida de trabalho. Trabalhamos para e com pessoas e interagir em um nível humano é importante de maneiras que nunca apreciamos antes. 

Desejamos conversas que nos inspiram, que nos unam para que possamos crescer e aprender. Isso destaca porque organizações como Airbnb, Google e Apple chamam seus espaços de trabalho de ‘campus’. Essa palavra evoca uma atmosfera de aprender e trabalhar em ambiente colaborativo encontrada em escolas ou universidades. Um espaço de trabalho com aspecto social é tão importante quanto o trabalho em si. Podemos descobrir os espaços físicos de trabalho passarão de locais de disciplina e estrutura para lugares de sociabilidade e crescimento. 

Medindo Produtividade, Isso Importa?

Algumas pessoas estão descobrindo que estão trabalhando mais, outras que estão trabalhando menos. Gestores e líderes dentro de organizações podem sentir como se estivesse sempre ativos, incapazes de desconectar. Outros podem estar se sentindo mais produtivos, e que estão terminando seu trabalho mais rápido. Essa mudança em aumento da produtividade pode significar a criação de mais micro funções com mais tarefas de nicho e foco ao invés de posições com foco macro onde a ênfase está em fazer mais em detrimento da eficiência.

Líderes Possuem A Escolha

Como líderes, nós temos escolhas a fazer sobre o que queremos levar adiante no ‘novo normal’, o que quer que ele seja. Cada um de nós possui muitas escolhas para criá-lo através de nossas ações. O que iremos manter e o que iremos deixar para trás?

O futuro é um reflexo do nosso presente. Assim que possível precisamos começar a criar um novo sistema de trabalho. Um sistema que vai funcionar para nós. E isso é feito a partir das decisões que tomamos agora no nosso dia a dia, não depois em alguma linha do tempo imaginária. O que precisamos fazer agora para criar nosso futuro coletivo?

Esse futuro está sendo atualizado dia a dia. Ele é manifestado através de novas realidades formadas pelos nossos sistemas, pares, colaboradores, times e líderes. Ele depende da realidade que você deseja, estamos criando esse futuro juntos!

Ricardo Ruffo

Ricardo Ruffo is a born entrepreneur, educator, speaker and explorer. As a writer by passion Ricardo daydreams on how the world is changing fast and how it could be.

Ruffo is the founder and global CEO of Echos, an independent innovation lab driven by design and its business units: School of Design Thinking, helping to shape the next generation of innovators in 3 countries, Echos – Innovation Projects and Echos – Ventures. As an entrepreneur, he has impacted more than 35.000 students worldwide and led innovation projects for Google, Abbott, Faber-Castell and many more.

Specialist in innovation and design thinking, with extensions in renowned schools like MIT and Berkeley in the United States. Also expert in Social Innovation at the School of Visual Arts and Design Thinking at HPI – dSchool, in Germany.

Naturally curious, love gets ideas flying off the paper. He always tries to see things from different angles to enact better futures. In his free time, spend exploring uninhabited places around the world surfing.

Fique Ligado

Inscreva-se na newsletter da Echos para ficar acompanhar as novidades da indústria, notícias de inovação e ofertas exclusivas.

Forgot your password? Click here to reset.

Presença Global

© Copyright 2019 Echos. All rights reserved.