Marketing de Experiência: O Que É e Como Fazer?

Marcas brigam pela atenção dos consumidores de maneira ininterrupta. No entanto, pela percepção do cliente, essa disputa eterna por atenção torna o mercado saturado.

Um monte de produtos semelhantes sendo ofertados de maneiras praticamente iguais. Que graça tem nisso?

Diante de tanta competição e de uma sociedade conectada e informada, é preciso ações inovadoras. O desafio é superar as expectativas a partir de abordagens que toquem as pessoas, ao invés de apenas descrever os atributos e as funcionalidades dos produtos e serviços.

Tal demanda encontra resposta no marketing de experiência. A partir desta abordagem estratégica, marcas buscam comover, chocar e impactar, para, assim, arrebatar a fidelidade do seu público a partir de um relacionamento envolvente!

Quer proporcionar momentos inesquecíveis para os seus consumidores? Aprenda como neste post!

O Marketing de Experiência urge!

Para conseguir atender a esse novo patamar de escolha, as empresas precisam conhecer os hábitos do público a fundo. Só assim será possível entender o que os clientes valorizam para criar as interações ricas, já que a matéria-prima principal dessa vertente estratégica são as sensações exploradas nas experiências de consumo.

Com isso, as empresas fortalecem o vínculo que possuem com os clientes, tornando-o profundo. Mais do que fidelizar, se consegue encantar a pessoa a ponto de ela defender a marca e trazer mais clientes.

Tal atmosfera contribui para o aumento de faturamento, de visibilidade, de atração da empresa, além do crescimento de engajamento junto aos clientes. A marca se torna mais valiosa, tanto do ponto de vista do mercado quanto do público consumidor.

3 V’s da estratégia de experiência

marketing de experiênciaExistem três guias para que o marketing de experiência se mantenha efetiva, levando valor agregado para o público e trazendo os resultados esperados pela empresa. Conhecido como 3 V’s, são eles: Verdade, Vontade e Valor.

Verdade

Como todo relacionamento duradouro, é preciso construir confiança e respeito entre empresas e consumidores. Assim, a verdade precisa ser premissa das propostas, ofertas, promessas e comunicação que o negócio realiza.

Seja para evidenciar atributos, propagar um case de sucesso ou história que vá de encontro com os valores da marca e do público, é imprescindível que ela esteja pautada pela verdade. Afinal, ninguém continua cliente depois de ter sido enganado.

Portanto, o consumidor moderno espera autenticidade. Caso não a enxergue, ele pode desconsiderar a empresa como opção. Pior, caso sinta que seja mentira, a resposta vem em hashtags, tweets, postagens e comentários que arrastam clientes potenciais e antigos para bem longe da marca!

Vontade

A vontade é o sentimento que surge no cliente e pode ocorrer mesmo sem ele saber que o seu produto ou serviço é a resposta para satisfazê-la. Para que ele chegue a conclusão de que a empresa é a solução, deve-se saber quais são essas motivações e qual o contexto de consumo para definir as melhores maneiras de cativá-lo.

Valor

Por fim, tudo se funde para desenvolver ações inovadoras! Os pontos de contato que são utilizados e criam, sob a percepção do consumidor, situações encantadoras que solidificam a escolha dele pela marca.

Crie experiências inesquecíveis

Para colocar em prática esta abordagem, Bernd Herbert Schmitt descreveu 5 módulos de possibilidades para o marketing de experiência. Eles podem ser combinados ou únicos, cabendo aos profissionais que desenvolveram a estratégia definir quantos e quais abranger:

1- Sensorial

Utilizar os 5 sentidos (audição, visão, tato, olfato e paladar) a serviço do marketing para despertar o consumidor para um contato pessoal com a marca.

No cotidiano de enfrentar as filas para chegar aos caixas, os clientes da Coca-Cola tiveram uma repentina mudança no processo de passar as compras. Apenas com o som, sem a necessidade de nenhuma explicação, a interação acontece.

É o mesmo com o Plim Plim da Globo. Antes de existir Netflix, a forma de sair da sala e mesmo assim não perder a volta da programação era ficar atento ao áudio que sinaliza o fim do comercial.

2- Emocional

Gerar sentimentos no público é inevitável. O ideal é aprimorar todos os pontos de contato ao investir em experiências de valor para que os clientes passem a nutrir sentimentos positivos pela marca. Ao negligenciar tais etapas, o contrário também é uma realidade.

A Marisa, ao receber uma carta de uma cliente mastectomizada (ela enfrentou o câncer de mama), propagou a relação de mulher para mulher que teve com ela a partir de um sutiã da rede, trazendo a empatia e emoção em um case de recuperação da autoestima.

Já a Natura invadiu um aeroporto e distribuiu maquiagem para muitas mulheres, inclusive de maneira personalizada, proporcionando um encontro marcante com elas.

3- Cognitivo

Trazer novas perspectivas para o consumidor. Nesta alternativa, incentiva-se o público a pensar de forma criativa e diferente, a solucionar os problemas de formas inusitadas. Gerar discussões, enfrentar tabus e estabelecer paradigmas.

A Finansförbundet (União do Setor Financeiro da Suécia) colocou luz sobre a desigualdade de salários entre homens e mulheres.

4- Comportamental

Incentivar a adoção de novos comportamentos, fazendo com que os clientes partam para ação! Sair do modo automático e se arriscarem com novos estilos de vida, interações e padrões antes desconhecidos, mas que, ao serem vivenciados, proporcionam nova percepção e garantem boas lembranças!

Na reunião de assinatura de três divórcios reais, a marca O Boticário com o seu lema de acreditar na beleza auxiliou três clientes e proporcionou, tanto a elas quanto a milhares de mulheres, a autoconfiança.

5- Identificação

Fazer com que o consumidor se sinta representado pela marca. Quando você o faz, a fidelidade é garantida. Este módulo expressa o nível mais bem-sucedido de relacionamento entre empresa e consumidor e é alimentado por engajamento, interação, sentimento de pertencimento e comunidade entre aqueles que consomem o mesmo produto ou serviço.

Novamente a Natura, agora através da linha de maquiagem Faces, divulgou o vídeo ‘Quem é você na rua?’, no qual, através de personalidades consideradas fora do padrão encoraja as pessoas a não terem medo de quem são e ocuparem seus lugares na sociedade.

Fica claro como o marketing de experiência é uma forte estratégia. Afinal, ele faz com que as empresas atinjam positivamente o inconsciente e o emocional dos consumidores. Mais ideias como essa você tem ao seguir a Echos no Facebook!

Echos

Designing Desirable Futures.

Esqueceu a senha? Clique aqui para resetar.