5 projetos que estão criando futuros desejáveis - Escola Design Thinking

Aqui na Echos acreditamos que temos o poder de construir o futuro que queremos. E isso não é baseado em um “sentimento”, mas em um conhecimento do que temos visto, estudado e praticado no mundo da inovação e design. Foi disso tudo que surgiu a abordagem do Design de Futuros Desejáveis, uma metodologia que utiliza o design para desenhar um futuro desejável inclusivo e estratégico para corporações, governos, pequenos negócios e para a sociedade civil. 

Para te ajudar a entender melhor como essa abordagem  está sendo colocada na prática, trouxemos 5 exemplos de projetos que já estão construindo um futuro desejável por meio da inovação e do design. 

1- Transformando o sistema de saúde privada no Brasil

Ao pensar no sistema de saúde brasileiro, não há uma só das partes envolvidas que esteja satisfeita: pacientes, médicos, planos de saúde, entidades governamentais, todos reclamam da precariedade, corrupção e burocracia existentes neste meio. 

Em um projeto que envolveu especialistas e stakeholders de diversos setores da saúde, representantes de classes profissionais, hospitais e planos de saúde, a Echos utilizou o design para projetar uma solução para este cenário. E assim nasceu o Check In da Saúde, um sistema que apresenta uma solução com foco em desenvolver o caminho para um novo modelo de remuneração dos profissionais da saúde e proporcionar mais transparência, qualidade e um acompanhamento mais próximo aos pacientes por meio de um processo integrado de atendimento.

 Nessa nova proposta, ao final de cada consulta, o usuário avaliará o atendimento recebido e assim conseguirá acompanhar todos os procedimentos e protocolos estabelecidos. Por sua vez, os médicos terão uma remuneração diferenciada, que valoriza os profissionais com os melhores resultados e também de acordo com a evolução de cada paciente. 

Por se tratar de um projeto que envolve órgãos governamentais, a implantação não ocorre de forma imediata, mas já há diferentes setores se empenhando na solução. 

2. O futuro da igualdade de gênero

Também nascido dentro da Echos, o projeto IRIS usa a abordagem de futuros desejáveis como um tipo de movimento social em prol do futuro da igualdade de gênero e liberdade do feminino no Brasil. Atualmente, o projeto trabalha como uma plataforma distribuída por diferentes regiões do país, realizando workshops de futuros desejáveis que estão colhendo as diferentes visões de futuro de igualdade de gênero. Com isso, irão construir uma espécie de “mapa” que guiará uma segunda etapa do projeto focada em encontrar soluções para se chegar na visão alcançada. Para conhecer mais sobre o projeto acesse: www.iris.echos.cc  

3. Projetando a Cingapura de 2025

Um dos passos fundamentais da metodologia de futuros desejáveis é criar uma visão intencional e colaborativa deste futuro,ou seja, deixar bem claro como será o futuro desejável em questão. Em Cingapura, o Concelho Nacional do Design se juntou com membros da industria, academia, governo e negócios para criar uma visão de Cingapura em 2025, projetada por meio do design. Com isso, estabeleceu-se 15 estratégias para guiar as ações a serem tomadas para que essa visão seja alcançada e que o país se torne um lugar adorável para seus habitantes e com uma economia impulsionada pela inovação.

Para saber mais sobre o projeto acesse aqui o relatório do National Design Center. 

4. O mapa de Estocolmo em 2025

 

Outro local que está construindo seu futuro por meio do design é a cidade de Estocolmo. Assim que detectou que  sua população está em constante crescimento, o governo tomou as decisões para evitar problemas e melhorar ainda mais sua infraestrutura. Com ajuda de diferentes setores e apoiado pelo design, construiu-se o plano da cidade de Estocolmo,que define a direção principal para o desenvolvimento urbano nos próximos 25 anos. Os critérios para o desenvolvimento irão se basear em ações para o meio ambiente, igualdade de gênero, acessibilidade, saúde, segurança e proteção. Essa espécie de “mapa” guiará as futuras ações de governo e entidades privadas. Conheça aqui este planejamento. 

5. Uma boa causa e Impressoras 3D 

 

Este é um exemplo de um futuro desejável que já está sendo colocado em prática. Com gente de todos os lugares do mundo e guiados com a única intenção de ajudar pessoas que não possuem mãos ou dedos, a comunidade e-NABLE uniu diferentes profissionais para colaborarem com a melhoria dos designs 3D de fonte aberta para criar mãos e braços eletrõnicos.

A comunidade é formada por professores, estudantes, engenheiros, cientistas, profissionais da área médica, designers, pais, crianças,  escoteiros, artistas, filantropos, sonhadores, codificadores, fabricantes e pessoas que querem fazer uma diferença e ajudar a “Dar ao mundo uma mão amiga”.

Dentro de um ano – eles juntaram  quase 7 mil membros e aproximadamente 2000 dispositivos foram criados e doados para indivíduos em mais de 45 países. Todas essas mãos e braços impressos em 3D são gratuitos para quem necessita, graças aos incríveis voluntários da  comunidade. Conheça o projeto em http://enablingthefuture.org

Que tal fazer parte deste movimento e começar a criar estes futuros desejáveis? Estamos com turmas abertas para São Paulo e Rio de Janeiro. Veja aqui. 

Natália de Almeida Figueiredo

Jornalista de formação, produtora de conteúdo na Echos e produtora cultural no Coletivo Nóz. Possui pós graduação de Gestão de Projetos Culturais e especialista em formação em Design Thinking. Apaixonada por música, educação e ativismo social.

Esqueceu a senha? Clique aqui para resetar.