Ao falar em público, muitas pessoas têm receio em dar um intervalo, pequeno que seja, entre as frases ou até mesmo entre uma palavra e outra. Por isso, falam rápido e mal respiram. Ficam afobadas, com medo que se elas pararem de falar um pouquinho e derem um espaço, os ouvintes acabem se entediando e se distraiam, fiquem olhando no celular ou até mesmo se levantem para ir embora.

Se você é uma dessas pessoas, saiba eu tenho uma boa e uma má notícia para lhe dar.

A má notícia é que se você “correr” assim com o texto, as coisas não só não vão se resolver, como vão piorar e muito. O seu público vai ter dificuldade para entender o que você está dizendo e não vai conseguir se conectar. E a reação geral vai acabar sendo exatamente aquela que você mais temia, ou seja, as pessoas vão ficar desconfortáveis e vão acabar se aborrecendo. Aí, elas vão sentir necessidade de responder os recados no celular, de ir ao banheiro, de tomar um café, de tirar o carro do estacionamento, enfim…

A boa notícia é que isso é muito fácil de corrigir, basta que você preste atenção nos seguintes pontos:

  1. Nunca se fala devagar demais. Você pode diminuir a velocidade da sua fala o quanto quiser, não existe o perigo de você parecer um disco com rotação alterada. Aliás, mais devagar é sempre melhor, pois dá tempo da plateia ir entrando no seu mundo e ninguém terá que fazer esforço para compreender o que você está dizendo. Assim, você estará facilitando a conexão com os seus ouvintes, que ficarão muito gratos e confortáveis com esse cuidado.
  2. Prepare uma explanação sempre em apenas 70% do tempo estipulado. Por exemplo, se você tiver 10 minutos, ensaie para desenvolver seu roteiro em 7 minutos. Se tiver 5 minutos, procure fazer em 3 e meio. Se tiver 30, cronometre 21. Dessa forma, você não se sentirá “afogado” e terá tranquilidade para desenvolver os assuntos dos quais precisa tratar. Caso sinta a necessidade de se deter em algum ponto para explicar alguma coisa melhor, poderá fazer isso sem ansiedade, pois saberá que tem tempo sobrando (na verdade, o tempo nunca sobra, pois quando nos apresentamos diante de uma plateia, ele corre de maneira diferente do que nos ensaios).

No curso “Ahaze! Presença em Apresentações”, as classes são reduzidas e, por isso, todos os participantes têm a oportunidade de se exercitar de acordo com as suas necessidades específicas, seja dando uma aula, uma palestra, apresentando um projeto ou fazendo intervenções em uma reunião.

Assim, você exercitará o seu ritmo de fala de modo a se sentir confortável, sem ansiedade, e encontrará o ponto de equilíbrio para obter domínio sobre si mesmo e sobre os seus ouvintes.

Quer saber quando vai ter a próxima turma do curso? Veja aqui. 

Ricardo Ruffo

Ricardo Ruffo is a born entrepreneur, educator, speaker and explorer. As a writer by passion Ricardo daydreams on how the world is changing fast and how it could be.

Ruffo is the founder and global CEO of Echos, an independent innovation lab driven by design and its business units: School of Design Thinking, helping to shape the next generation of innovators in 3 countries, Echos – Innovation Projects and Echos – Ventures. As an entrepreneur, he has impacted more than 35.000 students worldwide and led innovation projects for Google, Abbott, Faber-Castell and many more.

Specialist in innovation and design thinking, with extensions in renowned schools like MIT and Berkeley in the United States. Also expert in Social Innovation at the School of Visual Arts and Design Thinking at HPI – dSchool, in Germany.

Naturally curious, love gets ideas flying off the paper. He always tries to see things from different angles to enact better futures. In his free time, spend exploring uninhabited places around the world surfing.

Fique Ligado

    Inscreva-se na newsletter da Echos para acompanhar as novidades da indústria, notícias de inovação e ofertas exclusivas.

    Forgot your password? Click here to reset.

    Presença Global

    © Copyright 2022 Echos. All rights reserved.