Tour Design Thinking: fomos visitar as empresas que estão inovando para valer com o Design Thinking! - Escola Design Thinking

Estamos sempre falando aqui no nosso Blog como o Design Thinking é uma abordagem poderosa para inovação. Tão poderosa que muitas empresas estão enxergando como uma grande oportunidade estratégica trazer o Design Thinking para os seus negócios e estão transformando a forma como criam e desenvolvem seus produtos, serviços e processos.

Para ver como o Design Thinking acontece na prática no mundo corporativo, levamos, na última terça-feira, os alunos do curso de Imersão em Design Thinking para realizar o Tour Design Thinking. Nessa edição, tivemos a oportunidade de visitar três empresas: o Guia Bolso, a Geekie e o Itaú, que contaram para nós como o Design Thinking acontece no dia a dia da empresa. Veja como foi!

Como primeira parada, visitamos o Guia Bolso. Com o propósito de transformar a forma como as pessoas se relacionam com o dinheiro, o Guia Bolso oferece as ferramentas necessárias para que seus clientes adquiram o controle de suas contas para que consigam atingir uma vida financeira saudável.

Como funciona? A partir de plataforma web e/ou de um aplicativo, é possível ter o controle financeiro de forma automatizada e gratuita. Em alguns passos, o cliente sabe quanto recebe, quanto gasta e pode planejar seus gastos e quanto quer guardar. Também é possível categorizar as despesas de acordo com as necessidades dos usuários, além do usuário saber se está conseguindo atingir o que planejou no dia a dia. Para saber mais, você pode clicar aqui.

Mas como o Design Thinking acontece na GuiaBolso?

Logo que entramos, foi possível ver que a empresa possui uma estrutura que facilita a inovação: espaços abertos, pessoas trabalhando próximas sem distinção de cargos, postits nas paredes. Também vimos desenhados nessas mesmas paredes, o planejamento e as ações que a empresa está tomando, de modo que todos possam visualizar o andamento.

ae75c51f-46c8-4766-835d-2a256425a66e

Outro ponto que notamos de início no nosso bate-papo com Paula Crespi, Head de Marketing e Produto do GuiaBolso, foi que o Design Thinking é utilizado como uma forma de pensar, especialmente porque está centralizada no usuário final e possibilita criar soluções com menos recursos. No entanto, como é cultura da empresa, aplica-se o Design Thinking conforme a necessidade do projeto, combinando-o com outros conceitos como lean startup e scrum, por exemplo.

O User Experience, conceito que considera os sentimentos do usuário e sua interação com determinado produto, sistema ou serviço é muito presente no Design Thinking e também permeia todas as ações realizadas no GuiaBolso. Com foco no usuário e com pessoas dedicadas a isso, existe sempre a preocupação de que os produtos da empresa de fato facilitem a vida do cliente e façam com que ele cada vez mais se engaje e tenha uma relação melhor e mais saudável com suas finanças.

Algo que é bem marcante na cultura do GuiaBolso é o foco em prototipar e testar, sempre aliado ao uso de – muita – métrica. Todo produto, nova funcionalidade ou qualquer alteração na plataforma que desenvolvem é levado a teste e tem seu impacto quantificado.

Dependendo do tamanho da mudança e do tempo disponível, é realizado desde profundas pesquisas com usuários e não usuários, como também entre os próprios colaboradores e, se precisar, a equipe de Produtos sai pelo prédio e nas ruas para validar a ideia que tiveram.

Partem sempre do pressuposto que sempre haverá erros, então é melhor testar e testar rápido para que o usuário final tenha a melhor experiência possível.

O Design Thinking também está presente no GuiaBolso na estrutura organizacional e na forma como as equipes são formadas. A empresa se considera aberta e estimula a participação de todos. Não existem funções, mas sim equipes de trabalho. Grupos são formados de acordo com os objetivos da empresa, criando-se times multifuncionais ou matriciais, o que proporciona múltiplas visões sobre um problema e novas formas de gerar soluções.

De modo geral, vimos que os valores do Design Thinking, empatia, colaboração e experimentação estão muito vivos em todos os processos do GuiaBolso. Quanto à aplicação do Design Thinking como processo – o que significa dizer passar por todas as suas fases -, varia muito conforme a profundidade de inovação que cada projeto demanda.

Além disso, notamos que a “cultura de teste” como mencionado é tão forte que acaba criando um banco de dados de ideias, o que muitas vezes permite que essas ideias sejam diretamente transformadas em protótipos e levadas a teste.

  • Geekie e o usuário como tomador de decisão

A Geekie é uma empresa que enxerga o poder de aprender como a chave para qualquer transformação. E a gente sabe que o desafio da educação é gigante, não é mesmo? Só mesmo uma abordagem como o Design Thinking, poderia ajudar nesse processo.

Por meio da tecnologia de ensino, a empresa desenvolve ferramentas digitais que oferecem ao aluno uma experiência de aprendizado personalizada e baseada nos conceitos de gamification. Afinal, cada um aprende de um jeito. Além de ser uma ferramenta muito interessante para os professores que conseguem acompanhar em tempo real o desenvolvimento dos alunos, a plataforma é oferecida tanto na rede privada, quanto pública. Para saber mais sobre a Geekie, clique aqui.

Mas como o Design Thinking acontece na Geekie?

df3db36f-5c8d-4a58-aa9c-4baadc721954

Assim como no GuiaBolso, ao entrarmos na empresa foi possível notar a infraestrutura e a ocupação do espaço. Ambiente aberto, pessoas trabalhando em baias, uso das paredes como um grande display com quadros e post-its, onde são colocados o planejamento e as tarefas a serem desenvolvidas.

Além disso, na Geekie, as equipes de trabalho também são multidisciplinares e formadas de acordo com as necessidades de cada projeto. O foco no usuário também é bastante forte na empresa e está enraizado na cultura, pois entendem que o usuário é o grande tomador de decisão, como explicou André Battagello, engenheiro de software da Geekie.

André explicou também que o Design Thinking é utilizado como uma forma de quebrar hierarquias, por isso o conceito de espaços abertos e equipes multidisciplinares e que há liberdade para ser usado em tudo. No entanto, o uso do Design Thinking como abordagem de inovação é mais intenso na área de projetos, especialmente na parte de desenvolvimento de produtos.

Como exemplo, estão usando o Design Thinking e todas as suas etapas, para desenvolver um novo produto voltado para educação infantil.

Massa não é mesmo?

  • Itaú e a inovação em uma empresa gigante e tradicional – será?

Agora você já imaginou uma empresa cujo faturamento registrado no último ano foi de 27 bilhões de reais e que atua em um segmento de mercado considerado tradicional e conservador possa utilizar o Design Thinking?

Veja como o Design Thinking acontece no Itaú

5ea87d5a-df5a-4809-833d-97d8d5177f5c

No Itaú, um dos maiores bancos brasileiros, o Design Thinking já é realidade há alguns anos. Desde 2010, o banco possui um espaço dedicado à inovação chamado Inovateca, uma área de mais de 200m² montada para liberar a criatividade que se tornou um laboratório para o desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos.

Contando com uma equipe multidisciplinar em torno de 15 pessoas, é para a Inovateca que as demandas por novos produtos, serviços e processos são endereçadas pelo alto escalão do banco. Ali, as demandas são inseridas no fluxo de Design Thinking, passando-se por todas as etapas da abordagem, desde o entendimento do problema até a concepção de uma solução prototipada e testada.

Todos os funcionários também podem contribuir com ideias inovadoras por meio dos Challenges, em que são promovidos desafios de inovação e as melhores ideias são levadas para dentro da Inovateca.

Outro ponto de inovação presente no Itaú é o Cubo. Utilizado como uma via de acesso a novas tecnologias e um espaço para geração de novos negócios, o Cubo é uma aceleradora de negócios que abriga 50 startups ligadas a novas tecnologias.

Além de ser um ecossistema para empreendedores, grandes empresas, universidades, mentores e investidores, o CUBO tem se tornado um ambiente controlado de testes. As empresas aceleradas utilizam o próprio espaço, as demais empresas presentes e as pessoas que ali trabalham e circulam para prototipar e testar a suas soluções. É o Design Thinking sendo colocado em prática para valer!

  • Tá, e daí?

Muito interessante ver o Design Thinking sendo aplicado no mundo corporativo, de diferentes formas e profundidades, do modo que mais faz sentido para o negócio e para a cultura da empresa. Além disso, vemos emergir um movimento de se levar a inovação a sério, com estrutura e processos adequados, bem como pessoas preparadas.

Foi possível também perceber que o Design Thinking proporciona uma reflexão sobre como as empresas consideradas inovadoras operam, criam suas equipes e desenvolvem novos produtos. Especialmente porque passam, cada vez mais, a desenvolver soluções que de fato preencham às necessidades de seus clientes. Vale ressaltar que deixar o cliente feliz é algo imprescindível em um mundo com consumidores cada vez mais críticos ao que as companhias oferecem.

Ao mesmo tempo, as empresas ganham agilidade na proposta de novas soluções e aprendem mais rapidamente o que funciona ou não antes de um produto chegar ao mercado. Além disso, o Design Thinking permite mudanças nos modelos de gestão e proporciona um modo de trabalhar mais colaborativo e criativo.

Para mais detalhes sobre como o Design Thinking funciona na prática, recomendamos a você a leitura do nosso eBook gratuito. Para baixá-lo, basta acessar aqui. Nesse material, você aprenderá sobre a abordagem que tem revolucionado a forma como as empresas desenvolvem soluções inovadoras, bem como todas as etapas necessárias para que você possa também aplicar o Design Thinking na sua empresa, no seu trabalho e nos seus projetos!

Agora se você quer se jogar de cabeça igual essa galera fez e aprender de forma profunda essa abordagem centrada no ser humano para inovar em projetos reais, conheça o curso de Imersão em Design Thinking!  Durante 4 meses, você irá vivenciar intensamente os valores da empatia, colaboração e experimentação, ativar seu potencial criativo e aprender como colocar a inovação em prática. Torne-se um líder e facilitador projetos de inovação utilizando a abordagem do Design Thinking 🙂 Saiba mais.


pauloAdvogado, marketeiro e inquieto. Passou a notar que perdemos muito tempo tentando nos encaixar nos moldes dos outros e, por acreditar que todos possam encontrar a própria trilha, espera ajudar as pessoas nesse sentido. Participa de movimentos sobre empreendedorismo de impacto e crê na força dos negócios como ferramenta transformadora da realidade. Atualmente, faz parte do time da Escola de Design Thinking e sonha em ser facilitador de processos.

ebook_idt

 

 

Echos

Designing Desirable Futures.

Esqueceu a senha? Clique aqui para resetar.