Se você está procurando um caminho mais prático e tangível de introduzir a visão de inovação no seu time ou organização o Design Sprint pode ser o começo do fim dos engavetamentos de projetos! Mas o que é e por onde começar?

O Design Sprint surge como uma maneira de fazer projetos saírem no papel e dar foco àquelas diversas ideias que surgem mas acabam sendo “engavetadas”. Um método rápido e eficiente em que através de um aprofundamento dos problemas que precisam ser resolvidos, resultam em uma solução pronta para ser implementada. O Design Sprint é um processo criado pelo Google e que hoje já se tornou rotina dentro dos processos de trabalho realizados por eles. É um pouco da receita por trás da magia do gigante da internet.

Para a organização e as pessoas, serve como um impulso para que a empresa mobilize recursos humanos e dê tempo para que uma ideia seja viabilizada e validada. Do ponto de vista da cultura, o Design Sprint é um meio de trazer agilidade e união de times e equipes multidisciplinares e um incentivo para ativar uma cultura organizacional inovadora.

Em termos de formato, o sprint possui um modelo original proposto pelo Google de 5 dias em que algumas pessoas da organização, de diferentes áreas, se dedicam a encontrar uma solução para uma questão crítica da empresa (desafio) utilizando a visão do design, a prototipagem e, principalmente, o constante ato de testar ideias junto aos clientes.

Porém, essa é uma das propostas. O importante é que o sprint representa, a partir do modelo mental do design, uma ferramenta capaz de dar velocidade no processo de inovação. É um caminho para que organizações consigam criar de forma ágil produtos, serviços e até mesmo modelos de negócios de acordo com necessidades genuínas.

Assim, cabe a cada organização definir as regras do sprint, inclusive em tempo e extensão. O essencial é que haja um foco, um problema específico no qual a organização ou o time queira se debruçar. Se for necessário, desmembre desafios macros em micros. Esse é um caminho para abordar problemas complexos e conseguir alcançar soluções.

Caso tenha interesse em realizar um Design Sprint, gostaria de compartilhar abaixo algumas dicas básicas:

PREPARAÇÃO

Bloqueie a agenda da equipe por 5 dias consecutivos. Todos os participantes, preferencialmente sendo eles oriundos de diferentes áreas da empresa, devem estar completamente focados nesse processo, deixando de lado outros compromissos, laptops e celulares. Talvez você esteja se perguntando por qual motivo os participantes devem ser de áreas diferentes e a resposta pra essa pergunta é simples: pessoas com diferentes experiências, perspectivas e conhecimentos em relação ao desafio contribuem de forma diferentes e trazem para o Design Sprint mais riqueza e assertividade para encontrar a solução. É importante também que eles realizem um estudo prévio sobre o problema a ser resolvido, bem como também deixar agendadas previamente eventuais entrevistas a serem realizadas.

DURANTE OS 5 DIAS

A lógica utilizada durante o processo é uma combinação do pensamento convergente e divergente oriunda do design. Ou seja, em alguns momentos é importante criar opções e em outros é preciso fazer escolhas. Para desenrolar esse processo, utiliza-se o duplo diamante, uma metodologia que passa pelas seguintes etapas: Entendimento – Observação – Ponto de Vista – Ideação – Prototipagem – Teste – Iteração.

Esse processo é embasado no modelo mental do Design Thinking, uma abordagem que pensa inovação focada no ser humano para a resolução de problemas complexos. Caso queira conhecer melhor o passo-a-passo temos um material excelente e gratuito, o ebook Design Thinking na Prática, que você pode baixar aqui.

APÓS O DESIGN SPRINT

O principal resultado do Design Sprint é a estruturação e a validação de uma ideia de alto potencial de resolver um problema real. Ao final do processo é importante coordenar e distribuir as tarefas dos próximos passos a serem dados, afinal o Design Sprint é o pontapé inicial de uma ideia promissora e uma semente importante na construção de uma nova cultura organizacional.

Sem dúvidas, o objetivo Design Sprint é resolver de forma rápida e eficiente um problema da empresa, porém é louvável os benefícios “invisíveis” que ele trás para a equipe. Por se tratar de um processo colaborativo e co-criado, empodera os participantes a se sentirem ativos para resolver, do começo ao fim, os problemas internos, bem como no desenvolvimento de novos produtos, serviços e modelos de negócios, utilizando os próprios recursos intelectuais.

Se utilizada constantemente, o Design Sprint pode ser um caminho interessante para criar uma cultura organizacional mais experimental, de execução e ágil. Mas também humana, focada nas pessoas, tanto em relação aos colaboradores, quanto e principalmente em relação aos clientes.

Acredita que o Design Sprint pode ser o primeiro passo para começar a inovar na sua organização e incentivar uma cultura voltada para inovação? Então você vai gostar de saber que um dos nossos produtos é exatamente ajudar organizações e desenvolver em conjunto todo o processo do Design Sprint! Se interessou? Envie um email para incompany@echos.cc e conta pra gente como podemos te ajudar nessa jronada! 😉

 

Escola Design Thinking

A Escola Design Thinking foi criada para aqueles que desejam estar na fronteira da inovação.

Criada em 2012 pela Echos – Laboratório de Inovação, a Escola Design Thinking é uma escola de inovação na prática que tem como propósito formar a nova geração de inovadores.

Esqueceu a senha? Clique aqui para resetar.